Por que fazer a terceirização do seu comércio exterior?

terceirizaçao do comercio exterior
8 minutos para ler
Powered by Rock Convert

O comércio exterior exige habilidades específicas, como o conhecimento da legislação vigente e das flutuações de câmbio. Isso é fundamental para que a empresa realize negociações mais vantajosas e evite prejuízos fiscais e financeiros. Por isso, a medida mais adequada para evitar problemas é contratar uma empresa de terceirização de comércio exterior.

Muitos empreendedores não conhecem a finalidade, a utilidade e as vantagens da terceirização, incorrendo em gastos e riscos elevados. Por outro lado, aqueles que conhecem esses benefícios conseguem ser bem-sucedidos no mercado e até se destacar perante os concorrentes. Então, se você quer aproveitar as vantagens do comércio exterior e de sua terceirização, continue a leitura para saber como funciona esse tipo de negócio e entenda como terceirizá-lo. Confira!

Que documentos são necessários para trabalhar com comércio exterior?

Em primeiro lugar, é importante saber quais são os documentos necessários para trabalhar com comércio exterior. Veja o que é necessário na fase de negociação:

  • estar habilitado no RADAR (Registro e rastreamento da atuação dos intervenientes Aduaneiros) da Receita Federal;
  • proforma invoice, ou fatura proforma.

Com o negócio fechado, alguns documentos com validade internacional são necessários para o embarque:

  • commercial invoice, ou fatura comercial;
  • packing list, ou romaneio de carga;
  • conhecimento de embarque;
  • certificados de origem, fitossanitário, qualidade, etc;
  • contrato de câmbio.

Por fim, alguns dos documentos exigidos pela legislação brasileira são:

  • licença de importação;
  • registro de importação ou registro da exportação;
  • nota fiscal;
  • comprovante da importação ou comprovante de exportação;
  • contrato de câmbio de compra ou de venda;
  • liberação da Receita Estadual do icms;
  • liberação da Marinha Mercante;
  • siscoserv.

Quais são as principais vantagens de ser um importador?

Há muita burocracia na realização das operações de importação. Entretanto, o trabalho é compensado com diversas vantagens para o importador, o que colabora para o desenvolvimento e a expansão da empresa no mercado. Algumas delas são:

  • incentivos do Governo Federal;
  • menos contratações de trabalhadores;
  • menor tempo para concluir a importação em comparação com o tempo de produção das mercadorias;
  • preços mais interessantes;
  • acesso a lançamentos em primeira mão;
  • alta qualidade das mercadorias;
  • melhora no seu quadro fabril e em diminuição de custos operacionais com melhores equipamentos;
  • tecnologia, softwares, ferramentas de ponta;
  • matéria prima a custos competitivos;

Quais são as obrigações do importador?

Para aproveitar as vantagens mencionadas e realizar as importações adequadamente, o importador tem diversas obrigações a serem seguidas. Uma delas é a obtenção de um documento chamado Licença de Importação (LI), que serve para garantir que os produtos foram devidamente vistoriados e checados antes de entrarem no país. Esse licenciamento pode ser de três tipos básicos:

  • licença dispensada: produto não precisa de autorização para ser importado;
  • licença automática: é necessário fazer o licenciamento, mas a autorização é automática;
  • licença não-automática: a mercadoria deve ter autorização para embarcar e passar por vistoria na chegada antes de ser liberada.

Além disso, é necessário efetuar os registros nos órgãos e agências governamentais que realizam o controle prévio dos produtos. Também é preciso fazer os pagamentos antes do embarque da mercadoria no exterior. Os principais órgãos e agências são:

  • Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária): responsável pelo controle sanitário, a agência inspeciona ambientes, processos, insumos e tecnologias relacionadas ao produto;
  • MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento): faz a inspeção de alimentos, bebidas e produtos de origem vegetal ou animal de forma generalizada;
  • Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia): inspeciona uma grande quantidade de produtos, como eletrodomésticos, brinquedos, veículos, baterias etc.

Como a terceirização funciona no comércio exterior?

A terceirização do comércio exterior consiste na contratação de uma empresa especializada para realizar os procedimentos necessários, como a elaboração e emissão de documentos, despacho aduaneiro, logística, contabilização, auxilio na negociação com empresas internacionais, gestão operacional dos processos e outras atividades rotineiras.

Uma boa terceirizada ainda faz com que o processo seja executado com compliance — observância da legislação, normas e padrões dos parceiros — e prazos estipulados.

Por que terceirizar o comércio exterior?

Como se trata de um assunto bastante complexo, com uma legislação extensa e complicada, é inviável que você interrompa suas atividades para se dedicar exclusivamente ao estudo do tema. Mesmo que decida fazer isso, precisará se manter constantemente atualizado em relação às mudanças frequentes na lei.

Por isso vale a pena delegar as atividades relacionadas com o comércio exterior a uma equipe experiente, competente e especializada. Já que contratar colaboradores para tratar do assunto não é suficiente para atender às necessidades do negócio, a terceirização é a opção mais vantajosa. Afinal, ela fornece vários benefícios à empresa. Confira os principais a seguir:

  • assessoria nos processos: a empresa auxilia no cálculo de impostos, contratação de frete, construção e correção dos documentos, licenças, certificados, despacho aduaneiro e outros aspectos, averiguando a viabilidade da importação;
  • redução de custos: menos gastos com encargos trabalhistas, além de economia operacional e administrativa, pois não é preciso manter uma equipe específica para o setor nem administrar as importações e exportações;
  • simplificação: realização de menos contatos operacionais, já que a contratada auxilia na negociação internacional sendo nas vendas ou compras externas;
  • despreocupação com a logística: a terceirizada fica responsável pelas chegadas e entregas dos bens;
  • ganho em qualidade e eficiência: a equipe se propõe a organizar prazos, atender às normas internacionais e adquirir produtos de qualidade;
  • foco no negócio: os colaboradores da empresa podem se concentrar na atividade-fim do negócio, o que aumenta a produtividade no restante dos setores.

Quais são os prejuízos de não seguir a legislação à risca?

A legislação não é branda em relação a erros nos processos de comércio exterior. Uma empresa incapacitada para o trabalho pode incorrer em pequenos vícios como classificação incorreta da Nomenclatura Comum do Mercosul (NCM), divergências na declaração do preço da mercadoria, LI deferida após o embarque, erros na fatura comercial, ausência de documentos como LI, romaneio de carga, entre outros.

Todas essas falhas podem resultar em penalizações. Por exemplo, deixar de prestar serviços nos termos estabelecidos pela Receita Federal pode gerar multa de até R$ 5.000,00. Além disso, as mercadorias são retidas no estabelecimento do órgão competente até que seja feito o desembaraço, prejudicando as entregas e a imagem da empresa no mercado.

Como escolher a empresa certa de terceirização de comércio exterior?

É fundamental que a terceirizada tenha experiência de mercado, conte com intermediadores autorizados pela Receita Federal e preze pela eficiência. A S&S Comex é uma empresa especializada no comércio exterior que atende a esses requisitos e é capaz de satisfazer todas as necessidades do seu negócio. Veja alguns diferenciais dessa organização:

  • preza pela ética, fidelidade e confiança: tem foco total no cliente, pois seu objetivo é garantir o sucesso do contratante;
  • tem uma larga experiência: está no mercado desde 2008;
  • não exige um contrato de fidelidade: a S&S Comex acredita que a boa prestação do serviço gera a fidelização de seus contratantes;
  • está presente nas redes sociais: mantém contato próximo e humanizado com seus clientes, além de fornecer mais canais de atendimento;
  • oferece uma boa amplitude de serviços: realiza importação, exportação, RADAR, Siscoserv, treinamento e capacitação do funcionário da empresa, desenvolvimento de negócio, entre outras atividades;
  • trabalha de forma personalizada: toda a estratégia é elaborada com base nas necessidades individuais do cliente.

Tornar-se um importador traz diversas vantagens. Porém, é fundamental realizar a terceirização de comércio exterior, a fim de garantir que tudo seja feito conforme a lei e da forma mais benéfica possível ao negócio, o que assegura seu desenvolvimento e minimiza os riscos.

A S&S Comex está à disposição para ajudar sua empresa a fazer bons negócios com a importação ou a exportação de produtos. Por isso, entre em contato agora mesmo e conheça os nossos serviços!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-